Marcia Victoriano é  co-fundadora da ONG Nova Mulher que busca o empoderamento das mulheres através de atividades de geração de renda e atendimento para casos de violência doméstica.

A ONG Nova Mulher foi criada com o objetivo de estimular as mulheres. O trabalho está voltado para mulheres acima de 16 anos, esse é o único critério de atendimento. A maioria das mulheres atendidas é da região.

“No entanto, qualquer mulher que nos procurar, seja de onde for, será atendida ou receberá orientações específicas para procurar ajuda em sua cidade”, afirma Márcia.

“Para nós, o crescimento de uma mulher é um processo de obtenção de poder e direitos que, por diferentes e múltiplas razões, as mulheres se encontram privadas em nossa sociedade. Com o processo busca-se superar e transformar as estruturas de discriminação  e desigualdade social. ”

“Não se trata de poder sobre/contra alguém ou algo e nem transformar diferenças em desigualdades. Trata-se de um processo que compreende o “poder para” fazer algo, conseguir resolver problemas e obstáculos, aprender uma habilidade (nível individual: “eu posso”); o “poder dentro”, aquela força interna dentro de cada pessoa, que enfatiza a auto aceitação e o auto respeito, reconhecendo as diferenças entre as pessoas, sem julgamento e, o “poder com outras mulheres”, envolvendo o sentimento de pertencimento, a sororidade e união em torno de um propósito comum”, afirma ela.

 

Atividades

A Ong Nova Mulher oferta diversas atividades que colaboram com o crescimento pessoal das mulheres.

• Atividades de Geração de Renda na área da beleza e na área do artesanato, tais como: Manicure e Pedicure, Assistente de Cabelereiro/a; Depilação, Design de Sobrancelhas e Pintura em Tecido, Crochê, Pedraria;

• Atividades de bem-estar: Yoga, dança circular e Ritmos. Os atendimentos terapêuticos alternativos (Reiki, Barra de Acess) estão suspensos no momento;

• Atividades de formação: Rodas de Conversa sobre temas diversos, tais como (Violência doméstica, Autoestima, Direitos Previdenciários, Empreendedorismo, etc.)

• Atendimento individual: para os casos de acesso a direitos em geral e para as mulheres em situação de violência doméstica e de gênero. Atendimento psicossocial, orientação jurídica e atendimento psicológico. O atendimento remoto se intensificou devido a pandemia, especialmente através do Whatsapp.

O trabalho é sustentado fundamentalmente por voluntariado, parceiras e doações.

Gostou da matéria?
Lembre de deixar seu comentário aqui

 

 

Siga ela no Instagram @marciavictoriano
Saiba mais sobre ela em Prosas
Saiba mais sobre o trabalho dela em ONG Nova Mulher