Marta Vieira da Silva, a Marta, é a principal jogadora de futebol do mundo e atua em campo na posição de atacante.

Nascida no município de Dois Riachos, em Alagoas, no dia 19 de fevereiro de 1986, a brasileira é chamada de rainha do futebol e foi eleita seis vezes como a melhor jogadora do mundo pela Federação Internacional de Futebol (Fifa).

A atleta teve uma infância humilde no interior de Alagoas. O pai deixou a família quando ela tinha apenas um ano de idade. Desde então, Marta e os três irmãos (Ângela, José e Valdir) foram criados pela mãe Tereza da Silva.

Carreira

O interesse de Marta pelo futebol surgiu nos primeiros anos de vida. Ainda criança, ela gostava de jogar com os garotos, no interior de Alagoas.

Era a única menina no grupo, e, em uma época em que o preconceito ainda era muito grande em torno das mulheres no esporte, Marta “ignorou” as críticas e discriminação das pessoas em volta.Marta foi eleita pela Fifa, por seis vezes, a melhor jogadora de futebol do mundo.

Para ajudar no sustento de casa, Marta dividia o tempo em que não estava nos campos de “pelada” (local onde se joga futebol amador) pelo trabalho de “carroçagem”, nome dado à atividade de empurrar um carrinho de mão com produtos em uma feira da região.

Ela também vendia roupas e sacolés e aceitava os demais serviços que encontrava na feira, além de lavar pratos na casa das famílias de amigas para ganhar algum valor que ajudasse em casa.

Na Associação Atlética do Banco do Brasil (AABB), em Santana do Ipanema/AL, era realizada a Copa Infantil de Futsal, uma das principais competições que haviam na região, e o técnico Luiz Euclides, o “Tota”, aceitava que uma menina, a Marta, jogasse com os garotos.

Desafios

Desde essa fase, ela já demonstrava muita habilidade e força, e, algumas vezes, sobressaía-se frente aos meninos. A situação acabou se complicando, já que alguns deles ameaçavam machucá-la, com isso, o técnico tomou uma decisão administrativa que a afastou dos jogos. A competição passou a ser chamada de Copa AABB de Futsal Masculina, impedindo a participação feminina.

Apesar da decepção da jovem garota em não poder mais jogar, ela não desistiu. Passado alguns dias, o técnico Tota conseguiu testes para Marta no Rio de Janeiro. Ela faria dois testes: primeiro no Vasco e depois no Fluminense. Com a carroçagem e a ajuda de pessoas próximas, Marta conseguiu juntar um pouco de dinheiro para pegar um ônibus sozinha, aos 14 anos de idade, com destino ao Rio de Janeiro.

Marta não chegou ao Fluminense, mas foi aprovada em seu primeiro treino no Vasco. Nos primeiros minutos do teste, ela já se destacou entre as outras garotas. Ficou no Vasco por três anos e foi emprestada ao Santa Cruz, de Minas Gerais, onde ficou por pouco tempo, até que o clube carioca negociou a venda da jogadora para um clube da Europa.

Seleção Brasileira

Com a equipe nacional, Marta foi campeã dos Jogos Pan-americanos de 2003 e 2007. Nos Jogos Olímpicos de 2004 e 2008, a equipe foi vice-campeã.

Em 2007, Marta ajudou a Seleção a chegar pela primeira vez numa final de Copa do Mundo. Apesar de não ter levado o título do torneio, a jogadora marcou o gol mais bonito da competição na semifinal, o que levou o Brasil para a decisão. Na final a Alemanha foi campeã, e Marta foi a artilheira do torneio com sete gols marcados.

Prêmios e recordes

Em 2018, Marta conquistou o prêmio de melhor jogadora de futebol do mundo pela sexta vez. A brasileira já havia sido premiada pela Fifa outras cinco vezes consecutivas, de 2006 a 2010. Entre homens e mulheres, Marta foi a atleta mais premiada até a edição de 2019, quando o argentino Lionel Messi também recebeu seu sexto troféu e igualou-se à jogadora.

Outro recorde de Marta é o de maior artilheira de Copas do Mundo. Em 2019, no jogo entre a seleção da Itália e a do Brasil, marcou seu 17º gol em mundiais, ultrapassando Klose, que era o maior artilheiro em mundiais, com 16 gols.

Marta também é a primeira atleta a marcar gols em cinco edições diferentes da Copa do Mundo. A primeira copa dela foi aos 17 anos, em 2003 (três gols), depois esteve presente nas edições de 2007 (sete gols), 2011 (quatro gols), 2015 (um gol) e 2019 (dois gols).

Em 2015, Marta superou Pelé, o Rei do Futebol, e tornou-se a maior artilheira da seleção brasileira. Atualmente, possui 117 gols. Pelé tem 95 gols marcados com a camisa do Brasil.

Gostou do conteúdo?
Lembre de deixar seu comentário aqui

 

 

Siga ela no Instagram @martavsilva10
Saiba mais sobre o assunto em Brasil Escola
Para saber mais sobre a vida dela acesse El País